MPF quer paralisação de Belo Monte por risco de colapso sanitário

quarta-feira, março 09, 2016

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou uma ação civil pública pedindo a paralisação emergencial do barramento do rio Xingu, no estado do Pará, que estaria agravando a poluição do rio e lençol freático da cidade de Altamira, no sudoeste paraense, com esgoto doméstico, hospitalar e comercial. As informações foram divulgadas pelo MPF nesta terça-feira (8).

De acordo com o MPF, nas licenças ambientais, assim como nas propagandas da Norte Energia S.A e do Governo Federal, a promessa era de que a cidade teria 100% de saneamento antes da usina ficar pronta. Até hoje, Altamira continua sem sistemas de esgoto e água potável. Essa é a 25ª ação judicial do MPF apontando irregularidades em Belo Monte.

O órgão disse ainda que a condicionante do saneamento básico, considerada uma das mais importantes de Belo Monte, estava prevista desde a licença prévia do empreendimento, concedida em 2010. Pelos prazos do licenciamento, a usina deveria ter entregado sistemas de fornecimento de água potável e esgotamento sanitário no dia 25 de julho de 2014.

Ibama
Mesmo sabendo disso, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) teria liberado a operação da usina e o barramento do rio Xingu no final de 2015. Na Licença de Operação, emitida em novembro de 2015, o Ibama deu prazo até setembro de 2016 para que o saneamento de Altamira esteja concluído.

Para o MPF, o novo prazo do Ibama é fictício. “Para concluir as obras do saneamento, a Norte Energia deverá implementar o fornecimento de água encanada e rede de esgotamento sanitário em mais de 24.250 domicílios altamirenses, até setembro de 2016, fazendo no curto prazo de 6 meses o que não fez, em 1 domicílio, no prazo de 6 anos”, diz a ação judicial assinada pelo procurador da República, Higor Rezende Pessoa.

Segundo o MPF, o risco de prosseguir com o barramento do rio Xingu nessas condições é de contaminação das águas subterrâneas pela parte sólida do esgoto acumulado por décadas nas fossas rudimentares, já que o lençol freático vai subir e as fossas serão “afogadas”, causando doenças sérias que podem levar a morte, já que é do lençol freático de Altamira que a maior parte da população retira a provisão de água para consumo.

Multa
Durante as investigações sobre a situação do saneamento básico em Altamira, o MPF constatou que a Norte Energia, após construir o reassentamento urbano coletivo Jatobá, lançava esgoto diretamente em um dos igarapés da cidade. O Ibama sabe do problema e multou a empresa em R$ 2,5 milhões por lançar resíduos em desacordo com a legislação ambiental.

A ação civil pública lembra ainda que a Organização das Nações Unidas reconhece o direito à água potável e limpa e ao saneamento como um direito humano que é essencial para o pleno gozo da vida e de todos os direitos humanos e que a situação da cidade paraense gera grave violação a esse direito, além de desrespeitar o direito ao meio ambiente, à saúde e educação das pessoas.

Recuperação do lençol freático
Além da paralisação imediata do barramento do rio Xingu, o MPF quer também a integral recuperação ambiental do lençol freático, igarapés e rios contaminados por esgoto e completa análise de poços tubulares e cisternas existentes em Altamira, assim como a publicação do plano de saneamento da cidade pela prefeitura.

A ação pede ainda a implementação de Campanha de Educação Ambiental no Município e que a Norte Energia faça um “Pedido Formal de Desculpas” aos cidadãos altamirenses por todos os transtornos causados pelo não cumprimento, até o momento, da condicionante do saneamento básico.

São réus na ação, além do Ibama e da Norte Energia, a Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), o município de Altamira e a União.

G1

Destaque

Inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Veja Também

Acidentes (677) Altamira (985) Anapu (48) Belo Monte (222) Belo Sun (13) Brasil (1731) Brasil Novo (639) Celebridades (85) Ciência (182) Cinema (70) Clima e Tempo (41) Curiosidades (822) Desaparecidos (10) Eleições (197) Esporte (73) Governo Federal (331) Ibama (57) Imprensa (112) Internet (366) Itaituba (170) Justiça (654) Marabá (39) Medicilândia (165) Mundo (799) Música (127) Norte Energia (186) Novo Repartimento (23) Pacajá (40) Pará (822) Placas (44) Polícia (2072) Política (1120) Porto de Moz (25) Religião (540) Rurópolis (70) Santarém (209) SBT (295) Souzel (35) Tecnologia (226) Televisão (357) Transamazônica (349) Tucuruí (45) Uruará (299) Vitória do Xingu (126)