Slideshow

Breaking News

Passageiro é executado dentro de van em São Domingos do Araguaia


De acordo com a delegada Raíssa Beleboni, titular do Departamento de Homicídios, que ouviu as testemunhas, a van chegou na delegacia por volta das 14 horas, tendo saído de São Domingos, a 54 km, de Marabá, às 13h20, transportando cinco pessoas, dentre elas a vítima. “No trajeto outro homem, na estrada, fez sinal de parada. O motorista parou, o então passageiro entrou e se sentou em uma poltrona”, explicou.

Ainda segundo ela, alguns quilômetros adiante os demais passageiros ouviram um disparo de arma de fogo e, conforme relataram em depoimento, imaginaram tratar-se de um assalto. “Por isso eles começaram a querer entregar seus objetos para o atirador, mas o homem disse que não se tratava de um assalto, que só queria acertar as contas com aquela pessoa e que todos ficassem no fundo do micro-ônibus”, informou.

Após isso, relata a autoridade policial, o assassino efetuou outros três disparos contra a vítima. Após cometer o crime, ele determinou que o motorista parasse, desceu e mandou que o veículo continuasse a viagem. O atirador saltou em um ponto próximo à vicinal que leva à Vila Ponta de Pedra, zona rural de São João do Araguaia. “O motorista então seguiu direto pra delegacia de Marabá porque disse saber que havia necessidade de perícia e remoção do corpo, o que é feito aqui na cidade”.

A equipe do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves periciou o interior da van e, em seguida, o corpo foi removido pelos auxiliares de necropsia do Instituto Médico Legal (IML), localizado ao lado da delegacia. Após o procedimento, a delegada colheu depoimento de todos os passageiros e do motorista. “No primeiro momento ficou apurada apenas a dinâmica dos fatos. Não se tem informação, por enquanto, acerca das características do autor e a vítima só foi qualificada após um funcionário da empresa trazer a mala dela, que continha uma pasta com os documentos pessoais”, acrescentou Raíssa.

Conforme os documentos pessoais de Flávio, ele é natural de Palestina do Pará. Até o fechamento desta matéria não havia parentes dele no IML, para receberem o corpo. Por o crime ter ocorrido à altura de São João do Araguaia, toda a documentação da investigação preliminar e os objetos pessoais serão encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil na cidade e o crime deverá ser investigado pelo delegado Timóteo Oliveira.

Um passageiro, em conversa informal com a Reportagem, relatou que estava cochilando quando ouviu o primeiro disparo de arma de fogo e, assustado, correu para a parte de trás da van. Ainda segundo ele. A vítima estava sentada no meio do veículo, que transportava poucas pessoas. “Eu fiquei tremendo e nem consegui ouvir e nem ver mais nada, mas ele disse que não era um assalto”, contou.


Reportagem: Luciana Marschall, com informações de Evangelista Rocha / Grupo Correio de Comunicação