Slideshow

Breaking News

Apologia ao crime deve cair fora das Olimpíadas. Temer teria dado um basta


A Organização das Olimpíadas do Rio pretendia fazer uma cena durante o evento de abertura que acabou pegando mal. A ideia era chamar a modelo Gisele Bündchen para uma espécie de peça teatral na qual ela seria assaltada por trombadinhas, o que acabou revoltando muita gente.

Na teoria, a ideia era “mostrar a realidade do Rio” – algo que a essa altura as delegações já conhecem, haja vista a quantidade de gente já assaltada. Mas tudo tudo acabou sendo interpretado como apologia ao crime, visto que após o “assalto”, Bündchen apareceria em outra cena com os mesmos trombadinhas que a roubaram confraternizando.

Segundo os organizadores, esta parte foi removida do projeto, e parece que Michel Temer teve influência direta nisso. O Ministro da Justiça, Alexandre Moraes, não é muito adepto da apologia ao crime, o que o difere bastante dos antecessores.

A extrema-esquerda, cujo regime vigorava até o afastamento de Dilma, era conhecida por validar apologias ao crime.

Nenhum comentário