Apologia ao crime deve cair fora das Olimpíadas. Temer teria dado um basta

terça-feira, agosto 02, 2016

A Organização das Olimpíadas do Rio pretendia fazer uma cena durante o evento de abertura que acabou pegando mal. A ideia era chamar a modelo Gisele Bündchen para uma espécie de peça teatral na qual ela seria assaltada por trombadinhas, o que acabou revoltando muita gente.

Na teoria, a ideia era “mostrar a realidade do Rio” – algo que a essa altura as delegações já conhecem, haja vista a quantidade de gente já assaltada. Mas tudo tudo acabou sendo interpretado como apologia ao crime, visto que após o “assalto”, Bündchen apareceria em outra cena com os mesmos trombadinhas que a roubaram confraternizando.

Segundo os organizadores, esta parte foi removida do projeto, e parece que Michel Temer teve influência direta nisso. O Ministro da Justiça, Alexandre Moraes, não é muito adepto da apologia ao crime, o que o difere bastante dos antecessores.

A extrema-esquerda, cujo regime vigorava até o afastamento de Dilma, era conhecida por validar apologias ao crime.

Clique no botão abaixo e Inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Destaque

Veja Também

Acidentes (627) Altamira (918) Anapu (46) Belo Monte (220) Belo Sun (13) Brasil (1608) Brasil Novo (623) Celebridades (74) Ciência (172) Cinema (66) Clima e Tempo (34) Curiosidades (701) Desaparecidos (10) Eleições (163) Esporte (69) Governo Federal (298) Ibama (55) Imprensa (105) Internet (330) Itaituba (158) Justiça (593) Marabá (35) Medicilândia (155) Mundo (746) Música (121) Norte Energia (185) Novo Repartimento (21) Pacajá (37) Pará (739) Placas (42) Polícia (1949) Política (984) Porto de Moz (20) Religião (519) Rurópolis (63) Santarém (197) SBT (289) Souzel (33) Tecnologia (212) Televisão (340) Transamazônica (337) Tucuruí (37) Uruará (283) Vitória do Xingu (119)