Slideshow

Breaking News

Gasolina do Pará é a 2ª mais cara do país


Quando o consumidor paraense pensa que o preço da gasolina ficará mais barato, lá vem outro reajuste. Segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA), as últimas reduções de preços anunciadas pela Petrobras não têm alcançado o consumidor paraense, muito pelo contrário. Pesquisa feita no período de 5 a 11 deste mês, e divulgada ontem, mostra que a gasolina subiu de preço. E mais: é a 2ª mais cara entre os demais Estados do País, considerando o preço médio. Os valores praticados no Pará estão abaixo apenas do preço médio cobrado por este combustível no Estado do Acre. O estudo do Dieese é baseado em dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Na primeira semana deste mês, o litro da gasolina foi comercializado, em média, em postos do Estado, a R$ 4,073, com os preços variando entre R$ 3,610 a R$ 4,770. Porém, entre os dias 5 e 11, este combustível já estava mais caro e era vendido, em média, a R$ 4,092, com os preços variando entre R$ 3,610 e R$ 4,770. Vários fatores influenciam nestes aumentos de preços da gasolina no Pará, sobretudo o alto valor que se paga de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), o que acaba sendo repassado para o consumidor. Em postos de Belém, muita reclamação.

CONSUMIDORES

O agente de turismo Anderson Lima, 35 anos, afirma que o que gasta com gasolina acaba pesando muito no orçamento mensal familiar. “Para economizar alguns centavos, procuro sempre pesquisar bastante antes de abastecer”, diz. A estudante Maria Oliveira, 20, diz que deixou de fazer viagens mais longas de carro. “Foi o jeito que encontrei, porque está difícil arcar com a gasolina cada vez mais cara.”

Diário do Pará