Maior massacre da história: China comunista matou 336 milhões de bebês

quinta-feira, março 30, 2017
Número refere-se ao aborto legalizado no país desde 1971
China comunista matou 336 milhões de bebês
Desde 1971, 336 milhões de bebês foram abortados na China, de acordo com dados divulgados esta semana pelo governo. O país comunista legalizou a prática em 1971, como parte de um programa visando o controle populacional. Foi imposta sobre a população à sua política de filho único, cobrando-se pesadas multas das famílias com mais de uma criança.

Dentro dessa política sanguinária, abortos são forçados até 9 meses de gravidez, além da realização de esterilizações em massa. Os novos dados que vieram a público dão conta que o governo chinês realizou 336 milhões de abortos e 196 milhões de esterilizações, além da implantação forçada de 403 milhões de dispositivos intrauterinos (DIU) para evitar gravidez.

Para efeitos de comparação, o número de abortados equivale a mais de uma vez e meia a população atual do Brasil. A reflexão é especialmente válida no momento em que o PSOL, partido ideologicamente assemelhado ao regime chinês, tenta legalizar a interrupção da gravidez por aqui, com apoio do STF.

De acordo com o Gospel Coalition, o número de abortos na China é maior que o número de pessoas mortas nas 10 guerras mais mortíferas da história humana. O maior número de mortos foi na II Guerra Mundial (72 milhões) e na Primeira Guerra (65 milhões).

“A magnitude do crime é incompreensível para a razão humana”, escreveu o teólogo Joe Carter. “Somente Deus pode compreender verdadeiramente as profundezas desta depravação e somente Deus realmente é capaz de calcular a magnitude dessa perda. Que ele tenha misericórdia do nosso mundo pelo que fizemos. ”

Dentro da política abusiva da China, os bebês do sexo feminino foram os maiores alvos por questões culturais. Como resultado, há um número desproporcional maior de homens em solo chinês. Especialistas concluem que isso, em grande parte, é devido a abortos baseados em seleção sexual.

Além disso, a relação entre o número de trabalhadores ativos e aposentados continua decaindo, mostrando que dentro das próximas décadas isso poderá causar um grande prejuízo econômico para o país, que tem uma elevada taxa de longevidade.

A China continua sendo o país mais populoso do mundo, com 1,3 bilhão de habitantes. Caso os abortos não tivessem sido realizados, teria hoje uma força de trabalho cerca de 30% maior.

Destaque

Inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Veja Também

Acidentes (669) Altamira (967) Anapu (48) Belo Monte (221) Belo Sun (13) Brasil (1693) Brasil Novo (636) Celebridades (83) Ciência (180) Cinema (69) Clima e Tempo (40) Curiosidades (791) Desaparecidos (10) Eleições (186) Esporte (72) Governo Federal (320) Ibama (56) Imprensa (110) Internet (351) Itaituba (169) Justiça (639) Marabá (38) Medicilândia (163) Mundo (785) Música (126) Norte Energia (186) Novo Repartimento (23) Pacajá (39) Pará (799) Placas (44) Polícia (2039) Política (1074) Porto de Moz (25) Religião (536) Rurópolis (70) Santarém (204) SBT (293) Souzel (35) Tecnologia (220) Televisão (352) Transamazônica (345) Tucuruí (40) Uruará (296) Vitória do Xingu (125)