Últimos extremistas do Estado Islâmico em Mossul estão cercados

segunda-feira, março 13, 2017
Coalizão internacional cortou última rota de fuga dos militantes e os que restam vão morrer na cidade, afirma enviado americano
Helicóptero do exército iraquiano ataca posições do Estado Islâmico em Mossul - REUTERS/ZOHRA BENSEMRA
Os últimos extremistas que permanecem na cidade iraquiana de Mossul estão cercados depois que a Nona Divisão do exército iraquiano cortou a última via de escape em Badush, no Noroeste da cidade de Bagdá, afirmou o enviado dos Estados Unidos para a coalizão internacional de combate aos jihadistas.

O EI (Estado Islâmico) está cercado. Na noite passada, a Nona Divisão do exército iraquiano cortou a última rota de escape de Mossul perto de Badush, no Noroeste. Os combatentes (extremistas) que estão em Mossul vão morrer na cidade declarou Brett McGurk à imprensa em Bagdá.

McGurk ressaltou ainda que a coalizão estava “muito empenhada em não apenas derrotar (o EI) em Mossul, mas garantir que os seus combatentes não possam fugir”.

O Estado Islâmico havia tomado Mossul no verão de 2014, época em que conquistou grandes faixas de território no Norte e Oeste do Iraque. No auge da sua presença no país, o EI chegou a controlar um terço do território iraquiano.

As autoridades americanas estimaram recentemente em 2,5 mil o número de jihadistas presentes na zona oeste de Mossul e na cidade de Tal Afar, mais a Oeste.

POR O GLOBO / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Destaque

Veja Também