Helder entrega 531 casas do programa MCMV em Benevides

terça-feira, abril 18, 2017
Nunca imaginei que, aos 80 anos, ganharia minha casa, que deixaria de pagar aluguel”, comemorava a pensionista Raimunda dos Santos, durante a inauguração do Residencial Novo Paraíso do Murinim II, em Benevides, ontem (17) de manhã. O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, participou da entrega das chaves aos novos moradores, por meio do programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal.


Ao lado do senador Jader Barbalho e outras autoridades, Helder destacou a parceria com a Prefeitura da cidade, que administrou a construção de 531 casas. E também não poupou críticas ao descaso do Governo do Estado para com o município. O Governo Federal investiu mais de R$ 32 milhões. Os imóveis têm sala, cozinha, área de serviço externa, banheiro e 2 quartos.


“Essas famílias que aqui estão escrevem o capítulo de uma nova história, de um amanhã de muita felicidade”, disse o ministro, que fez questão de agradecer ao superintendente regional da Caixa Econômica Federal (CEF) - financiadora do Minha Casa, Minha Vida -, Rodrigo Bacelar. “Acompanhamos cada passo desse sonho, desde a escolha da empresa até o andamento de cada obra, para que todos pudessem receber suas chaves”, disse o superintendente.

O senador Jader Barbalho reforçou a importância das políticas habitacionais. “Foi sempre uma prioridade em meus mandatos e me orgulho disso”, afirmou. “E tenho orgulho do que o Helder está fazendo com relação a isso, não só no seu Estado como no Brasil inteiro”, destacou.


Parceria

Helder reforçou que o conjunto existe graças à parceria estabelecida entre Governo Federal e Prefeitura. O ministro, que entregou sua 12ª obra no Estado desde 2015, aproveitou para anunciar que a Engevix, empresa responsável pelas obras, vai sortear duas unidades habitacionais do conjunto recém-inaugurado para mobiliá-las inteiramente.

A costureira Michele de Jesus Carvalho, 40 anos, fez questão de passear pela casa que vai dividir com o marido e as 3 filhas. “Já está tudo encaixotado. A gente não vê a hora de se mudar para cá. O sentimento é de vida nova, de nova fase”, falou ela, que agora, sem o aluguel, vai dispor de um orçamento familiar mensal com R$ 400 a mais.


O prefeito de Benevides, Ronie Silva (PMDB), agradeceu o apoio que obteve da bancada do seu partido em Brasília para que o conjunto habitacional saísse do papel. “Helder tem sido leal e companheiro com a cidade, bem como toda a bancada. É um trabalho que fazemos com muito cuidado, para não entregar obras que, pouco tempo depois, apresentam problemas. Temos zelo”, afirmou. Deputados federais, como Elcione Barbalho e Simone Morgado, e boa parte da bancada de oposição ao atual Governo na Assembleia Legislativa e das câmaras de vereadores dos municípios da Região Metropolitana de Belém (RMB) também fizeram parte da solenidade.


“É um dos programas da maior importância, porque realiza o sonho e resolve um dos grandes problemas deste País”, declarou o deputado estadual Francisco Mello, o Chicão (PMDB), referindo-se ao Minha Casa, Minha Vida. “Fui uma das pessoas que mais pediram ao presidente Michel Temer que levasse o programa em frente”, revelou Elcione Barbalho. Ela enalteceu o trabalho de Helder e também criticou a gestão estadual. “O Pará está abandonado”, disse.

16 imóveis são adaptados para pessoas com deficiência

O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, afirmou que o Governo Federal liberou mais de R$ 32 milhões para erguer o conjunto habitacional, que vai melhorar a vida de cerca de mais de duas mil pessoas com as moradias. A do garoto Rodrigo Monteiro Martins, 8 anos, é uma delas. Ao lado dos seus pais, a manicure Maria Rita Oliveira, 43, e do autônomo Ronaldo Martins, 45, ele estava muito feliz em frente à nova casa, que foi adaptada para a sua condição de cadeirante, desde a entrada até o banheiro. Além desse imóvel, há outros 15 com a mesma adaptação, e em todas constam as placas de captação de energia solar, o que vai ajudar a controlar o consumo de energia elétrica.


“Foi mais de um ano de sonho, e agora chegou a nossa vez”, comemorava a mãe, aliviada pela expectativa de deixar de pagar R$ 300 mensais de aluguel, em uma renda mensal que gira em torno de um salário mínimo. Também estava feliz em poder trocar a casa com apenas 2 cômodos que dividia com 7 pessoas pelo imóvel próprio e novo.

Ministério da Integração Nacional
Clique no botão abaixo e Inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Destaque

Veja Também