'Bandido que enfrentar polícia vai receber troco à altura: se trocar tiro, vai tomar tiro', diz novo comandante da PM de Roraima

terça-feira, maio 30, 2017
Coronel Edison Prola estava aposentado há dois anos e assume a PM pela segunda vez. Combater com firmeza o crime organizado é uma das metas do comandante
Novo comandante da Polícia Militar em Roraima admite rigor no combate à criminalidade
O novo comandante da Polícia Militar de Roraima, coronel Edison Prola, assumiu o cargo na última terça-feira (23) com a promessa de atuar com rigor no combate ao crime: "bandido que enfrentar a polícia vai enfrentar à altura do que ele fizer: se trocar tiro com a polícia, vai tomar tiro. Vamos enfrentar bandido da forma que ele merece".

Prola assumiu o comando da PM de Roraima pela segunda vez. Ele esteve à frente da corporação entre 2013 e 2014. Agora, de novo à frente da PM no estado, o coronel diz que tem como meta combater o crime organizado.

"Nós vamos 'botar' a polícia na rua para prender esses marginais. Nós vamos prender. O sujeito quer tocar o horror aqui na cidade? Ele que toque. Agora, ele vai pagar caro pelo que ele está fazendo. Nós vamos tratar com rigor!"

O novo comandante, que estava aposentando há dois anos, disse ter recebido o convite para assumir a tropa com "muita honra". Para ele, a forma como irá comandar a PM "não será nenhum mistério".

Em 2013, quando era comandante geral da PM, Prola admitiu que uma organização criminosa tinha se instalado na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, o maior presídio do estado, e tentava se impor em Boa Vista.

Na época, quando ocorreram vários motins, rebeliões e fugas na penitenciária, o coronel foi enfático ao dizer que o crime organizado não iria se firmar em Roraima em razão do estado ter uma "Polícia Militar preparada".

Ainda na mesma época, o comandante levou um quartel da PM para dentro da Penitenciária Agrícola, além da cavalaria montada e pelotão do canil para a segurança externa da unidade.

Desde então, o mesmo grupo criminoso a qual Prola se referia ganhou adeptos e hoje é maioria na unidade prisional onde já comandou dois massacres que deixaram 44 mortos. A facção também é apontada como autora de ataques a bancos e até delegacias na capital.

Por Valéria Oliveira, G1 RR

Destaque

Inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Veja Também

Acidentes (668) Altamira (967) Anapu (48) Belo Monte (221) Belo Sun (13) Brasil (1691) Brasil Novo (636) Celebridades (83) Ciência (180) Cinema (69) Clima e Tempo (40) Curiosidades (790) Desaparecidos (10) Eleições (184) Esporte (72) Governo Federal (320) Ibama (56) Imprensa (110) Internet (351) Itaituba (168) Justiça (637) Marabá (38) Medicilândia (163) Mundo (785) Música (126) Norte Energia (186) Novo Repartimento (23) Pacajá (39) Pará (798) Placas (44) Polícia (2039) Política (1070) Porto de Moz (25) Religião (536) Rurópolis (69) Santarém (204) SBT (293) Souzel (35) Tecnologia (220) Televisão (352) Transamazônica (345) Tucuruí (40) Uruará (296) Vitória do Xingu (124)