Estrela morreu ao mergulhar em um buraco negro – e acabou conseguindo iluminá-lo

segunda-feira, maio 08, 2017
A agência espacial americana, Nasa, observou uma estrela (que estava fora da nossa galáxia e era parecida com o sol) ser engolida e destruída por um buraco negro. Ela foi rasgada e, por isso, emitiu raios ultravioletas e alguns outros tipos de luz que, apesar de muito fortes, só chegaram à Terra em 2014.


Publicada na revista científica The Astrophysical Journal Letters, a pesquisa sugere que isso tenha acontecido há 290 milhões de anos. E que as luzes liberadas eram interações entre os detritos da estrela. A esse fenômeno, eles deram o nome de “Tidal Disruption”, em que as forças de atração do buraco negro são muito mais fortes que a própria gravidade.

Agora, a partir das imagens do satélite Swift, foi possível traçar como o evento aconteceu e como os destroços da estrela se configuraram.

Estrela iluminou buraco negro

Entendendo melhor essa força é possível descobrir de que parte exatamente do buraco essas luzes saíram, em que localização a estrela estava quando ela foi desmembrada e como os pedaços dela ficaram na borda do buraco. O que se sabe até o momento é que o tamanho do buraco negro era cerca de 10 mil vezes ou mais o tamanho do Sol.

Veja a simulação do que aconteceu:


Fonte: Vix

Destaque

Inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Veja Também

Acidentes (677) Altamira (985) Anapu (48) Belo Monte (222) Belo Sun (13) Brasil (1732) Brasil Novo (639) Celebridades (85) Ciência (182) Cinema (70) Clima e Tempo (41) Curiosidades (824) Desaparecidos (10) Eleições (197) Esporte (73) Governo Federal (331) Ibama (57) Imprensa (112) Internet (366) Itaituba (170) Justiça (654) Marabá (39) Medicilândia (165) Mundo (800) Música (127) Norte Energia (186) Novo Repartimento (23) Pacajá (40) Pará (823) Placas (44) Polícia (2073) Política (1121) Porto de Moz (25) Religião (540) Rurópolis (70) Santarém (209) SBT (295) Souzel (35) Tecnologia (227) Televisão (357) Transamazônica (349) Tucuruí (45) Uruará (299) Vitória do Xingu (126)