MOVIMENTOS DE ESQUERDA E CENTRAIS SINDICAIS CAUSAM O TERROR EM BRASÍLIA

quarta-feira, maio 24, 2017
Ministérios são incendiados e depredados; governo evacua todos os prédios da Esplanada


Todos os prédios da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, foram evacuados na tarde desta quarta-feira (24) após os manifestantes colocarem fogo nos ministérios da Agricultura, da Cultura e da Fazenda. Ao menos mais dois prédios foram depredados. Os funcionários dos ministérios foram retirados dos prédios pelas saídas dos fundos. O Palácio do Planalto foi cercado pelo Exército. Ao menos seis policiais foram feridos.


O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou que o presidente da República, Michel Temer, decretou ação de garantia de lei e da ordem em Brasília. Tropas federais se deslocaram para o Palácio do Planalto e no Palácio do Itamaraty. "Servidores se encontram aterrorizados", afirmou Jungmann, durante pronunciamento.


O grupo destruiu persianas e vidraças de ministérios, entre eles o da Integração Nacional, o do Trabalho e o da Agricultura. Este último havia sido cercado por tapumes, mas, mesmo assim, teve os vidros quebrados. Também foram depredados paradas de ônibus, placas de trânsito, orelhões, holofotes que iluminam os letreiros dos ministérios e até banheiros químicos que haviam sido instalados para a manifestação. Funcionários do Ministério da Cultura relataram que os manifestantes botaram fogo na biblioteca do prédio, além de sacar documentos e espalhá-los.


A todo momento, grupos de policiais tentam dispersar manifestantes, que ficaram espalhados pela Esplanada dos Ministérios. Vários atiraram pedaços de pau e pedras em direção aos policiais, enquanto os trios elétricos das centrais sindicais faziam incitação para os manifestantes furar a barreira feita pela polícia para se aproximar do Congresso.


A Marcha das Centrais Sindicais, como está sendo chamado o ato, protesta contra as reformas propostas pelo governo federal e pede a renúncia do presidente Michel Temer. Os manifestantes se reuniram pela manhã em frente ao estádio Mané Garrincha e depois seguiram em caminhada até o Congresso passando pela Esplanada dos Ministérios.


De acordo ainda com a polícia, 500 ônibus trouxeram os manifestantes. Um bombeiro que não quis se identificar por não poder dar entrevistas disse à reportagem que já havia perdido a conta de quantos incêndios combateu no protesto desta quarta.


Lideranças do movimento gritavam de cima dos trios elétricos, "Não são essas bombinhas que jogam em nós que vão tirar o brio dos trabalhadores do Brasil", disse uma delas.


Parlamentares de partidos da oposição se juntaram à marcha por volta de 13h e subiram em um dos carros de som que cruzava a Esplanada dos Ministérios, mas disseram que só iam discursar quando estiverem na frente do Congresso Nacional.


Entre eles, estavam os senadores Lindbergh Farias (RJ), Paulo Rocha (PA) e Gleisi Hoffman (PR), todos do PT, e a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ).

(Com informações da Agência Brasil)

Destaque

Veja Também