Morre uma das maiores lideranças da Transamazônica e Xingu

domingo, junho 11, 2017
Na noite de sábado, 10/06, foi confirmada a morte do empresário Vilmar Soares, uma das maiores lideranças das regiões Transamazônica e Xingu. O empresário de 54 anos morreu por insuficiência hepática.

Um dos grandes líderes da região, Vilmar ficou conhecido nacional e internacionalmente por defender a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, não somente pela energia gerada, mas por acreditar em um projeto que significava um trampolim para o desenvolvimento regional da Transamazônica e Xingu. “Belo Monte não é a salvação de Altamira, mas vai ajudar muito”, afirmava Vilmar em uma entrevista à revista Veja em abril de 2011.

Entre os anos de 2009 e 2012, Vilmar Soares atuou de forma ainda mais forte em nome da região. Em 2009 criou o Fórum Regional de Desenvolvimento Econômico e Socioambiental da Transamazônica e Xingu (FORT Xingu), organização civil criada para estudar e criar alternativas com o objetivo de estimular e implantar modelos de desenvolvimento sustentável para a região composta pelos 11 municípios que fazem parte das áreas de influência direta e indireta do Projeto AHE Belo Monte.

A frente do Fort Xingu fez com que a entidade acompanhasse as discussões sobre a construção de Belo Monte. E reivindicou investimentos em qualificação profissional para que, concluídas as obras, os moradores pudessem ter oportunidades de emprego.

Na luta por uma região melhor, o empresário concedeu centenas de entrevistas, sempre baseado em dados e mostrando conhecimento no que confiava. “Esse ano mais de quatrocentas empresas já chegaram aqui. E com o aumento da demanda, vem o aumento de preço”, disse em uma reportagem do Jornal Nacional em agosto de 2011.


Após um ano de início da construção de Belo Monte, Vilmar mostrou firmeza ao criticar a morosidade da aplicação das compensações socioambientais. “Os serviços de saúde e educação estão tão esgotados quanto o trânsito. A falta de luz é recorrente, e o lugar vive um boom imobiliário com construções e bairros inteiros que surgem em todas as partes”, contou em uma entrevista concedida a Agência France Press em junho de 2012.

Foi graças a pessoas como Vilmar Soares que se criou o Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável (PDRS) do Xingu institucionalizado por meio do Decreto nº 7.340, de 21 de outubro de 2010, cuja finalidade é implementar políticas públicas e iniciativas da sociedade civil que promovam o desenvolvimento sustentável e a melhoria da qualidade de vida de mais de 400 mil pessoas que habitam os Municípios de Altamira, Anapu, Brasil Novo, Gurupá, Medicilândia, Pacajá, Placas, Porto de Moz, Pacajá, Senador José Porfírio, Uruará e Vitória do Xingu.

Talvez nem tudo tenha saído como Vilmar planejou, mas com certeza deixou um legado imensurável para o desenvolvimento regional da Transamazônica e Xingu.

Por Gutemberg Cruz | Oxingu
Inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Veja Também

Acidentes (685) Altamira (1002) Anapu (48) Belo Monte (224) Belo Sun (14) Brasil (1765) Brasil Novo (643) Celebridades (89) Ciência (187) Cinema (70) Clima e Tempo (41) Curiosidades (864) Desaparecidos (11) Eleições (217) Esporte (74) Governo Federal (337) Ibama (57) Imprensa (113) Internet (383) Itaituba (171) Justiça (666) Marabá (42) Medicilândia (172) Mundo (817) Música (129) Norte Energia (186) Novo Repartimento (23) Pacajá (41) Pará (842) Placas (44) Polícia (2107) Política (1159) Porto de Moz (25) Religião (549) Rurópolis (70) Santarém (209) SBT (299) Souzel (37) Tecnologia (229) Televisão (364) Transamazônica (353) Tucuruí (46) Uruará (302) Vitória do Xingu (130)