Mulher é estuprada e obrigada a comer o próprio bebê com arroz

terça-feira, julho 04, 2017
Vian Dakhil, a única deputada Yazidi no parlamento iraquiano, revelou numa entrevista comovente os métodos de tortura a que a sua comunidade é sujeita pelos terroristas do Daesh.



Ao canal egípcio Extra News, Dakhil contou que uma mulher Yazidi foi feita escrava sexual do grupo terrorista e depois forçada a comer o próprio filho bebê. "Uma das mulheres que conseguimos salvar contou que era violada diariamente pelo Daesh. Deixaram-na três dias numa caverna sem comida ou água. Depois trouxeram-lhe um prato de arroz e carne, que ela comeu imediatamente por estar esfomeada. Quando acabou disseram-lhe ‘Matamos e cozinhamos o seu filho de um ano que tínhamos raptado. Foi isso que acabou de comer’", contou a deputada, entre lágrimas.

O Daesh consideram que as pessoas de etnia Yazidi não são árabes nem muçulmanos dignos e são tratados como "fiéis do diabo". Desde seu início, o grupo ‘jihadista’ já matou milhares de Yazidis, raptando várias mulheres e crianças que são usadas como escravas sexuais dos terroristas.

Fonte: Blog do Estagiário

Destaque

Inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Veja Também

Acidentes (678) Altamira (990) Anapu (48) Belo Monte (222) Belo Sun (13) Brasil (1741) Brasil Novo (640) Celebridades (85) Ciência (184) Cinema (70) Clima e Tempo (41) Curiosidades (833) Desaparecidos (11) Eleições (200) Esporte (73) Governo Federal (332) Ibama (57) Imprensa (112) Internet (371) Itaituba (171) Justiça (656) Marabá (40) Medicilândia (166) Mundo (803) Música (128) Norte Energia (186) Novo Repartimento (23) Pacajá (41) Pará (825) Placas (44) Polícia (2084) Política (1127) Porto de Moz (25) Religião (542) Rurópolis (70) Santarém (209) SBT (295) Souzel (35) Tecnologia (227) Televisão (358) Transamazônica (349) Tucuruí (45) Uruará (299) Vitória do Xingu (126)