Arcon diz que embarcação que naufragou atuava clandestinamente. Veja a lista dos sobreviventes

quarta-feira, agosto 23, 2017
A embarcação “Capitão Ribeiro”, que naufragou na madrugada desta quarta-feira (23), não estava legalizada para fazer o transporte de passageiros, segundo informações da Agência Estadual de Regulação e Controle de Serviços Públicos (Arcon-PA).


A embarcação pertencente à empresa Almeida e Ribeiro Navegação Ltda. - “não estava legalizada para fazer o transporte de passageiros, por não se encontrar registrada na Arcon-PA, portanto a embarcação estava realizando o transporte clandestino de usuários”.


Ainda de acordo com o comunicado da agência, a empresa foi notificada pelos fiscais da Arcon durante uma operação realizada no dia 05 de junho de 2017 , “mas até o momento nenhum representante da empresa compareceu a essa Agência para se regularizar”, declara a Arcon.


“A diretoria de Arcon-PA aproveita o momento para reforçar o alerta aos usuários do transporte hidroviário no Estado do Pará que não utilizem dos serviços de transporte clandestino”, finaliza o texto encaminhado pela agência.


A embarcação com 70 passageiros, naufragou na madrugada desta quarta-feira (23), em uma área denominada Ponte Grande do Xingu, localizada entre os municípios Senador José Porfírio e Porto de Moz, deixando sete mortos e mais de 40 desaparecidos. Entre as vítimas fatais estão cinco adultos, uma adolescente de 15 anos e uma criança de apenas 1 ano.


O Corpo de Bombeiros Militar informou que, na manhã desta quarta-feira, 25 pessoas foram resgatadas com vida e cerca de 43 passageiros continuam desaparecidos. A principal suspeita é de que uma tempestade tenha provocado o naufrágio. O navio saiu de Santarém e seguia viagem para Vitória do Xingu, fazendo paradas nos município de Monte Alegre e Prainha.


Com informações (DOL)

Lista dos sobreviventes

Na tarde desta quarta (23), a defesa civil em Porto de Moz encaminhou os corpos das vítimas para o Ginásio Poliesportivo Chico Cruz, onde serão periciados pelo IML e apresentado às famílias para identificação.


A Defesa Civil também divulgou os nomes de 10 sobreviventes que foram identificados até o momento e que estão na cidade, outros que seguiram para Vitória do Xingu e Senador José Porfírio não foram mencionados na lista.


Curte nossa página no Facebook e fique atualizado!

1 - Charles Medeiros da Silva
2 - Alessandro Carvalho Souza
3 – Antônio Neves Rodrigues
4 – Carla Conceição de Souza
5 – Daniela Borges da Silva
6 – Dhemison Furtado Rodrigues
7 – Edivan Felipe Peixoto
8 – Kailison
9 – Maria do Socorro Pinto Nonato
10 – Rubilei Fonseca

Outros dois sobreviventes identificados por; Israel e Adalto moradores de Altamira também estão entre as pessoas que nadaram até a margem do rio.


Pelo menos 13 corpos foram resgatados do fundo do rio, uma equipe do IML faz o trabalho de necropsia e identificação dos corpos no Ginásio Chico Cruz em Porto de Moz.

Por Felype Adms | Xingu 230
Inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Destaque

Veja Também

Acidentes (649) Altamira (948) Anapu (47) Belo Monte (220) Belo Sun (13) Brasil (1660) Brasil Novo (630) Celebridades (76) Ciência (177) Cinema (67) Clima e Tempo (40) Curiosidades (753) Desaparecidos (10) Eleições (175) Esporte (72) Governo Federal (306) Ibama (56) Imprensa (107) Internet (341) Itaituba (163) Justiça (620) Marabá (37) Medicilândia (160) Mundo (764) Música (124) Norte Energia (185) Novo Repartimento (23) Pacajá (38) Pará (772) Placas (43) Polícia (2004) Política (1030) Porto de Moz (25) Religião (527) Rurópolis (67) Santarém (200) SBT (290) Souzel (35) Tecnologia (214) Televisão (344) Transamazônica (342) Tucuruí (38) Uruará (290) Vitória do Xingu (123)