Scanner localiza posição de rebocador que naufragou no Rio Amazonas

segunda-feira, agosto 07, 2017
O local, no entanto, é de difícil acesso. Será necessária manobra de reflutuação por empresa a ser contratada pela proprietária do rebocador
Navio Mercosul Santos que se chocou com rebocador continua parado na área onde aconteceu o acidente
(Foto: Marcos Cantuária/TV Sentinela)
A equipe de busca do rebocador que naufragou no dia 2 de agosto, no município de Óbidos, oeste do Pará, localizou nesta segunda-feira (7) com uso do equipamento ‘side scan’, a posição da embarcação. Porém, o local é de difícil acesso, o que dificulta a chegada dos mergulhadores do Corpo de Bombeiros.

Os destroços do rebocador estão a 15 km de distância do local onde o navio Mercosul Santos está fundeado (ancorado). Segundo a Marinha, após a colisão, o navio teve que continuar manobrando até conseguir ancorar, inclusive invertendo o rumo, pois o fundeio tem que ser com a proa (frente da embarcação) no sentido contrário da corrente.


De acordo com o comandante da Capitania Fluvial de Santarém, capitão Ricardo Barbosa, uma empresa especializada nesse tipo de salvamento deve ser contratada pela Transportes Bertolini (proprietária do rebocador). “A empresa que for contratada deverá planejar a reflutuação do empurrador. Essa empresa deverá preparar o plano de reflutuação que deverá ser apresentado a Marinha para aprovação”, disse.

Ainda não é possível estabelecer uma data para a retirada do rebocador do fundo do Rio Amazonas, mas segundo capitão Ricardo, a Marinha foi informada que logo que foi definida a profundidade do rebocador, a Bertolini já iniciou a busca pela empresa especializada em reflutuação.


Sete tripulantes e dois passageiros que estavam na embarcação quando ela afundou continuam desaparecidos. Familiares acompanham os trabalhos de buscas no município de Óbidos.

O acidente

O acidente aconteceu por volta das 04h30 do dia 2. O rebocador e um comboio de oito balsas da Bertolini que colidiu com o navio cargueiro Mercosul Santos, que estava carregado de contêineres. As balsas transportavam milho e o haviam saído com o rebocador da cidade de Porto Velho e tinham como destino, Santarém. Já o navio, tinha como destino o porto de Manaus (AM).

Após a colisão, uma balsa ficou presa ao navio, as demais ficaram à deriva por algumas horas no Rio Amazonas. O rebocador afundou rapidamente, segundo os tripulantes que conseguiram pular e foram resgatados com vida por uma embarcação geleira. Os resgatados com vida são: César da Silva e Euclinger Costa.

Com informações do G1 Santarém

Destaque

Inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Veja Também

Acidentes (668) Altamira (967) Anapu (48) Belo Monte (221) Belo Sun (13) Brasil (1692) Brasil Novo (636) Celebridades (83) Ciência (180) Cinema (69) Clima e Tempo (40) Curiosidades (791) Desaparecidos (10) Eleições (184) Esporte (72) Governo Federal (320) Ibama (56) Imprensa (110) Internet (351) Itaituba (168) Justiça (637) Marabá (38) Medicilândia (163) Mundo (785) Música (126) Norte Energia (186) Novo Repartimento (23) Pacajá (39) Pará (798) Placas (44) Polícia (2039) Política (1071) Porto de Moz (25) Religião (536) Rurópolis (69) Santarém (204) SBT (293) Souzel (35) Tecnologia (220) Televisão (352) Transamazônica (345) Tucuruí (40) Uruará (296) Vitória do Xingu (124)