Slideshow

Breaking News

Em campanha pela doação de órgãos, Hospital Regional de Altamira adere à cor do 'Setembro Verde'


Desde o dia primeiro de setembro, que passa pela frente do Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira (PA), à noite percebe que a unidade está com uma cor diferente. A iluminação do hospital está toda na cor verde, fazendo uma alusão à campanha “Setembro Verde”, que incentiva a doação de órgãos. Mas as ações em prol desta iniciativa começaram ainda no mês passado e devem se estender até o final do ano.

A Comissão Intra-hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) da unidade está à frente do conjunto de ações nesta campanha, que compreende atividades internas, com visitas aos setores do hospital para abordar a doação de órgãos com os colaboradores; e externas, com palestras em universidades, escolas e outras instituições. A ideia é esclarecer dúvidas e incentivar para que cada vez mais pessoas se declarem doadoras.


“Os nossos colaboradores são difusores dessas informações, por isso a nossa primeira ação é de capacitá-los sobre a importância da doação de órgãos, para que eles possam passar isso a seus familiares, amigos, vizinhos. Também fazemos as palestras externas para disseminar ainda mais a ideia de que é necessário doar órgãos. Em 2016, de acordo com a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO), nós tivemos uma média de recusa familiar de 75% na região Norte. E o grande motivo de recusa é a falta do conhecimento”, ressalta o médico nefrologista Leonardo Rodrigues, membro da CIHDOTT do Hospital da Transamazônica.

Órgãos e tecidos como córneas, coração, pulmão, pâncreas, ossos, medula óssea, intestinos, rins, pele, valvas cardíacas e fígado podem ser doados e ajudar a salvar várias vidas. Os potenciais doadores são, na maioria das vezes, pacientes diagnosticados com morte encefálica, ou seja, que perderam todas as funções do cérebro. Para se tornarem doadores, a família dos pacientes precisa autorizar o procedimento.


“Ainda há muitas dúvidas, principalmente em relação ao diagnóstico de morte encefálica pelos familiares. Muita gente acha que se o coração continua batendo, se o paciente ainda está aquecido ou mesmo apresenta alguns movimentos que são comandados pela medula, de que aquele usuário ainda está vivo. Mas nossa vida gira em torno do nosso encéfalo. E o papel da CIHDOTT é exatamente esclarecer isso e esclarecer à população que a doação de órgãos é um ato de amor e que pode salvar e mudar a vida de muitas pessoas”, completa o médico.

A iniciativa das luzes na cor verde no lado de fora da unidade tem o objetivo de chamar atenção da população à campanha de Doação de Órgãos e continuará o mês inteiro, todo o 'Setembro Verde'. “Nós somos um hospital geral, mas a nossa maior massa de atendimento é de trauma, de pacientes propensos à doação de órgãos. Então resolvemos aproveitar o mês de setembro e iluminar a unidade, para que toda sociedade, toda Altamira pudesse identificar que estamos nesta campanha. E o objetivo maior é tentar sensibilizar os familiares mesmo, para que possamos ser um local de captação, e no futuro de transplante de órgãos”, explica o diretor-geral do HRPT, Edson Primo.


Captação e Transplante de Órgãos


Esta é a primeira Campanha de Doação de Órgãos promovida pelo HRPT, que é gerido pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar desde sua inauguração, em 2006, por meio de contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

Mas a entidade já é referência na captação e transplante de órgãos e tecidos através do Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém. A unidade faz o trabalho de captação desde 2012 e realizou o primeiro transplante em novembro do ano passado. Só em 2017, o HRBA já captou dez órgãos (rins) e dez tecidos (córneas), além de ter realizado seis transplantes de rins apenas neste ano.


Por Gustavo Campos | Pró-Saúde