Governo autoriza uso das Forças Armadas em cerco à comunidade no Rio de Janeiro

sexta-feira, setembro 22, 2017
Após reunião com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, o presidente da República, Michel Temer, determinou o envio de 950 militares para auxiliar a ação de segurança


Após reunião com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, o presidente da República, Michel Temer, autorizou o envio de 950 militares para a Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro. Em conjunto com policiais civis e militares, eles farão o cerco à comunidade com o auxílio de dez veículos blindados. Eles começaram a chegar ao local na tarde desta sexta-feira (22).

Os 950 militares foram deslocados do Comando Militar do Leste, que possui 30 mil homens no Rio de Janeiro. Caso haja demanda, o efetivo na Rocinha pode aumentar. Segundo o ministro, o presidente reiterou manter apoio das Forças Armadas às ações de segurança no estado, inclusive o orçamentário.

Curte nossa página no Facebook e fique atualizado!

“Estamos agindo emergencialmente, mas também estruturalmente”, afirmou Jungmann. Nos próximos dias, Temer e ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, que coordena a ação social da operação no Rio de Janeiro, devem anunciar amplo pacote na área social para integrar a operação no estado.

Justiça


Em reunião com a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, na manhã desta sexta-feira, o ministro falou da necessidade da criação de uma força-tarefa federal, composta pelo Ministério Público Federal, Justiça Federal e Polícia Federal para combater não só o crime organizado, mas também o estado paralelo no estado. “Ela ficou de analisar e nos dar uma resposta em breve”, afirmou Jungmann.

Espaço aéreo


Após a decisão do presidente da República, a Força Aérea Brasileira fechou o espaço aéreo no entorno da Rocinha por determinação do Centro de Gerenciamento de Navegação Aérea, do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) da Aeronáutica. Helicópteros e aeronaves particulares não podem sobrevoar a região. Apenas veículos oficiais podem permanecer no espaço aéreo para dar apoio às equipes de terra que ocupam a comunidade.


Fonte: Portal Planalto, com informações da Agência Brasil
Inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Veja Também

Pará deve sediar centro integrado de Segurança da região Norte

Pará deve sediar centro integrado de Segurança da região Norte "É preciso que cada um cumpra com a sua obrigação, que tenhamos pulso forte e que se trabalhe muito para que possamos devolver a paz para a população paraense. Tivemos audiência hoje com o Presidente da República, Michel Temer, o Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, e deputados federais do Pará onde ficou decidido que o Centro Integrado de Comando e Controle da Região Norte será instalado em Belém. É um espaço que integra todos os órgãos de segurança pública, federais e estaduais, com o objetivo de investigar e reduzir a onda de violência que tomou conta da nossa região, do nosso estado e da região metropolitana da nossa capital Belém", disse Helder Barbalho. Por Gleyson Araujo SAIBA MAIS NO LINK: www.tvcidadesbt.com.br/2018/04/para-deve-sediar-centro-integrado-de.html

Publicado por TV Cidade SBT em Sexta, 13 de abril de 2018
Acidentes (733) Altamira (1030) Anapu (57) Belo Monte (227) Belo Sun (14) Brasil (1866) Brasil Novo (668) Celebridades (95) Ciência (192) Cinema (74) Clima e Tempo (51) Curiosidades (983) Desaparecidos (13) Eleições (263) Esporte (76) Governo Federal (369) Ibama (60) Imprensa (115) Internet (415) Itaituba (185) Justiça (716) Marabá (43) Medicilândia (199) Mundo (860) Música (132) Norte Energia (188) Novo Repartimento (28) Pacajá (47) Pará (921) Placas (45) Polícia (2230) Política (1289) Porto de Moz (27) Religião (565) Rurópolis (71) Santarém (218) SBT (302) Souzel (38) Tecnologia (251) Televisão (372) Transamazônica (369) Tucuruí (53) Uruará (322) Vitória do Xingu (138)

Postagem em destaque

Helder lidera em nova pesquisa para governador do Estado

Helder Barbalho (PMDB) lidera na nova pesquisa sobre a preferência do eleitorado paraense nas eleições deste ano ao governo do Estado. Na in...