Jatene cede e pede ajuda da Força Nacional, como sugeriu ministro Helder Barbalho

sexta-feira, setembro 22, 2017
Jatene já havia ignorado pedido da Força Nacional no Pará. Em meio ao caos na segurança, o Governo do Estado se viu obrigado a pedir ajuda.
(Foto: Agência Brasil/Antonio Cruz)
O Ministério da Justiça autorizou a atuação da Força Nacional de Segurança Pública no Pará pelo prazo de 15 dias. A decisão ocorre em meio ao caos na segurança pública no Estado e um dia após a megaoperação de varredura e monitoramento dos presídios da região.

O pedido para envio dos militares foi feito pelo governador Simão Jatene, que não conteve os altos índices de criminalidade em todo estado. Hoje, o Pará é o 5º Estado mais violento do país e Altamira é a cidade mais violenta de todo o território nacional, segundo o Atlas da Violência, estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).


A operação terá o apoio logístico dos órgãos de segurança pública do Pará, assim como permissão de acesso aos sistemas de informações e ocorrências da área da segurança pública.


As equipes da Força Nacional prestam apoio à segurança pública nos estados e Distrito Federal. É composta por policiais militares, policiais civis, bombeiros militares e peritos de todo o país.

A autorização está em portaria publicada no Diário Oficial da União desta quarta (21).

Jatene já havia ignorado pedido da Força Nacional no Pará


Em junho deste ano, o ministro da Integração Nacional Helder Barbalho já havia solicitado a atuação da Força Nacional de Segurança Pública no Pará para ajudar a conter a onda de violência no Estado.


Na época, o Ministro da Justiça, Torquato Jardim reconheceu a importância da solicitação e destacou a “situação emergencial” por que passa o Estado. Entretanto, o atendimento só poderia ser atendido mediante solicitação expressa do governador do Estado do Pará, que ignorou a situação de calamidade da segurança do Estado e se manteve omisso em relação ao apoio federal.

Não foi a primeira vez que o governador Jatene dispensou o apoio da Força Nacional. No primeiro semestre de 2015, o ministro Helder Barbalho, acompanhado da bancada federal paraense, esteve no Ministério da Justiça pedindo o envio da Força ao Estado, no que foi prontamente atendido pelo então ministro José Eduardo Cardozo.

No entanto, o secretário Jeannot Jansen dispensou a ajuda, informando que “tudo estava sob controle no Pará” e não havia razão que justificasse a presença da Força Nacional.

Omissão do Governo pune principalmente a juventude


Outro dado devastador apontado pelo Mapa da Violência mostra que a juventude está sendo dizimada pela falta de ações ordenadas de combate à violência no Pará. Se considerada a população jovem, fica evidente pelos dados do Ipea que o pico da taxa de mortalidade por homicídios se dá na faixa entre 15 e 29 anos.


E, se no Brasil essa taxa já é alta e preocupante, de 60 por 100 mil habitantes nessa faixa etária, no Pará a situação é mais grave: 84,2, um aumento de 63,5% entre 2005 e 2015. No total, a realidade fica ainda mais chocante: 1.936 homicídios, ou seja, mais da metade dos crimes ocorridos no ano de 2015 no Estado do Pará atingiram jovens de 15 a 29 anos.

(DOL com informações da Agência Brasil)
Inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Veja Também

Acidentes (685) Altamira (1002) Anapu (48) Belo Monte (224) Belo Sun (14) Brasil (1765) Brasil Novo (643) Celebridades (89) Ciência (187) Cinema (70) Clima e Tempo (41) Curiosidades (864) Desaparecidos (11) Eleições (217) Esporte (74) Governo Federal (337) Ibama (57) Imprensa (113) Internet (383) Itaituba (171) Justiça (666) Marabá (42) Medicilândia (172) Mundo (817) Música (129) Norte Energia (186) Novo Repartimento (23) Pacajá (41) Pará (842) Placas (44) Polícia (2107) Política (1159) Porto de Moz (25) Religião (549) Rurópolis (70) Santarém (209) SBT (299) Souzel (37) Tecnologia (229) Televisão (364) Transamazônica (353) Tucuruí (46) Uruará (302) Vitória do Xingu (130)