Slideshow

Breaking News

MP descobre fraude e pede cancelamento de aumento de salário de vereadores em Uruará


Na última semana, o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) ajuizou ação civil pública para suspender o pagamento do reajuste aprovado que aumentou o subsídio dos vereadores da Câmara Municipal de Uruará. O salário dos políticos, que era de R$ 4.890,00, passou a ser de R$ 7.500,00, a partir de janeiro de 2017.


 Curte nossa página no Facebook e fique atualizado!

A ação civil pública foi resultado de uma investigação realizada pelo Ministério Público, a partir de documento encaminhado pelo presidente do partido Democratas de Uruará. Ficou constatado que a Resolução nº 002/2016 padece de diversos vícios, como a inexistência de processo legislativo. O promotor de Justiça Pedro Brasil determinou ainda a abertura de inquérito civil, para apurar a prática de ato de improbidade administrativa dos responsáveis pela fraude legislativa.


Ainda de acordo com o MPPA, houve uma verdadeira fraude com a elaboração de documentos com teor falso para dar ar de legalidade à aprovação da referida resolução. “Outro vício é que o ato normativo não obedeceu à regra constante no art. 69, parágrafo único da Constituição do Estado do Pará, que exige que o aumento dos subsídios dos vereadores seja efetuado por meio de lei e não resolução, como foi feito”, frisou o promotor de Justiça Pedro Brasil.

Dinheiro de volta?


A resolução também não obedeceu ao prazo previsto no art. 21, parágrafo único da lei de responsabilidade fiscal (lc 101/2000), que estabelece um prazo de 180 dias para que se proceda aumento de despesa com pessoal, constatou o MPPA.


Diante desses motivos, o Ministério Público requereu que a Justiça conceda a liminar visando a suspensão imediata do aumento dos subsídios dos vereadores. Ao final do processo, todos os atuais vereadores podem ser obrigados a restituir os valores já pagos a maior desde janeiro de 2017.

(Com informações do MPPA)