Nova tecnologia permite que Netflix e YouTube carreguem 40% mais rápido

quarta-feira, março 28, 2018
Se, como a maior parte dos brasileiros, sua internet não é lá muito rápida, essa novidade será bem-vinda para você: a tecnologia de compressão de vídeo AV1 teve sua primeira versão finalizada, e já está pronta para ser utilizada pelo seu serviço de streaming preferido, incluindo Netflix e YouTube.
(Foto: Reprodução)
Em termos mais leigos, trata-se de uma tecnologia que permite que os vídeos fiquem mais leves sem causar tanta perda de qualidade. Isso significa que você pode assistir a vídeos em uma resolução mais alta sem precisar aumentar a velocidade da sua conexão.

Segundo a AOM (Alliance for Open Media), a organização que reúne gigantes como Google, Microsoft, Amazon, Facebook e Netflix, a AV1 é capaz de igualar a qualidade de imagem das tecnologias que dominam o mercado atualmente (HEVC e VP9) utilizando entre 30% e 40% a menos de espaço, o que é altamente vantajoso para serviços de streaming.





O avanço da compressão de vídeo é necessário em uma era em que já se começa a falar em que as TVs 4K começam a se tornar padrão, e o streaming de vídeo começa a acompanhar essa tendência. Sem uma compressão eficiente, esses vídeos se tornariam pesadíssimos, e só poderiam ser assistidos em conexões ultravelozes. Com o AV1, no entanto, já é possível começar a pensar em realizar streaming em 4K em conexões mais modestas como vemos no Brasil.

Velocidade é só uma parte da equação. Com os vídeos menores, a realização do streaming também consome menos dados, o que abre mais espaço para que usuários com conexões limitadas aproveitem melhor serviços como YouTube e Netflix. Isso dá mais liberdade para fazer streaming por conexões 4G no celular, ou então em redes domésticas com planos limitados.

Uma outra vantagem do AV1 sobre as tecnologias de compressão é que ele tem o código aberto, com uso livre de royalties. Isso cria um cenário extremamente favorável à sua adoção como padrão entre serviços de streaming, já que os avanços que a tecnologia HEVC eram limitados pela dificuldade de adoção, já que era necessário pagar uma empresa para usar essa plataforma.

Olhar Digital
Inscreva-se no nosso canal do Youtube!

Veja Também

Pará deve sediar centro integrado de Segurança da região Norte

Pará deve sediar centro integrado de Segurança da região Norte "É preciso que cada um cumpra com a sua obrigação, que tenhamos pulso forte e que se trabalhe muito para que possamos devolver a paz para a população paraense. Tivemos audiência hoje com o Presidente da República, Michel Temer, o Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, e deputados federais do Pará onde ficou decidido que o Centro Integrado de Comando e Controle da Região Norte será instalado em Belém. É um espaço que integra todos os órgãos de segurança pública, federais e estaduais, com o objetivo de investigar e reduzir a onda de violência que tomou conta da nossa região, do nosso estado e da região metropolitana da nossa capital Belém", disse Helder Barbalho. Por Gleyson Araujo SAIBA MAIS NO LINK: www.tvcidadesbt.com.br/2018/04/para-deve-sediar-centro-integrado-de.html

Publicado por TV Cidade SBT em Sexta, 13 de abril de 2018
Acidentes (733) Altamira (1030) Anapu (57) Belo Monte (227) Belo Sun (14) Brasil (1866) Brasil Novo (668) Celebridades (95) Ciência (192) Cinema (74) Clima e Tempo (51) Curiosidades (983) Desaparecidos (13) Eleições (263) Esporte (76) Governo Federal (369) Ibama (60) Imprensa (115) Internet (415) Itaituba (185) Justiça (716) Marabá (43) Medicilândia (199) Mundo (860) Música (132) Norte Energia (188) Novo Repartimento (28) Pacajá (47) Pará (921) Placas (45) Polícia (2230) Política (1289) Porto de Moz (27) Religião (565) Rurópolis (71) Santarém (218) SBT (302) Souzel (38) Tecnologia (251) Televisão (372) Transamazônica (369) Tucuruí (53) Uruará (322) Vitória do Xingu (138)

Postagem em destaque

Helder lidera em nova pesquisa para governador do Estado

Helder Barbalho (PMDB) lidera na nova pesquisa sobre a preferência do eleitorado paraense nas eleições deste ano ao governo do Estado. Na in...