quarta-feira, 2 de maio de 2018

Bolsonaro rejeita uso do fundo eleitoral na campanha


O pré-candidato do PSL a presidente da República, deputado Jair Bolsonaro (RJ), disse ao jornal O Estado de S. Paulo que abrirá mão de gastar os recursos públicos a que tem direito vindos do novo Fundo Especial de Financiamento de Campanha, criado na reforma política no ano passado. Ele afirmou que, como votou contra o chamado "fundão", dispensará a parcela que receberia por meio do PSL para a campanha presidencial. Ele calcula a renúncia em cerca de R$ 3 milhões.

"Eu votei contra esse fundo extra, não seria justo pedir", disse o deputado. Bolsonaro tenta convencer a bancada federal do partido a não gastar sua parcela "por coerência". O PSL deve receber entre R$ 9 milhões e R$ 10 milhões, segundo estimativas de parlamentares do partido.


Segundo Bolsonaro, a maioria dos oito deputados em exercício é contra o fundo e sinalizou ser favorável à iniciativa. "Da minha parte, da campanha para presidente, está decidido", afirmou o pré-candidato. "Conversei com uns seis ou sete (parlamentares), e eles são favoráveis a não usar."

Ação

O PSL é autor de ação no Supremo Tribunal Federal para tentar suspender a lei que criou o fundo eleitoral, alegando sua inconstitucionalidade pela existência anterior do Fundo Partidário. Ainda não houve decisão. Depois, o partido consultou a Justiça Eleitoral sobre como seriam divididos os recursos, se com base na bancada existente até agosto do ano passado, quando o PSL tinha dois parlamentares apenas, ou se após a janela de migração de março, quando passou a ter oito deputados.

Apesar disso, o presidente nacional em exercício do PSL, Gustavo Bebianno, advogado de Bolsonaro, afirmou ao Estado que os parlamentares deliberaram por não usar os recursos em suas campanhas eleitorais. Segundo ele, a decisão de renúncia está fechada. "O PSL foi contrário ao fundo eleitoral, mas ele foi aprovado, então foi feita essa consulta. O que está deliberado é que não vamos usar esse dinheiro. Os deputados atuais, que migraram para o partido, nenhum deles vai usar", disse Bebianno.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Compartilhe

Comente no Facebook

NEWS - FORMATURA DA TURMA DE PEDAGOGIA EM BRASIL NOVO

NEWS - FORMATURA DA TURMA DE PEDAGOGIA EM BRASIL NOVO SAIBA MAIS NO LINK: www.tvcidadesbt.com.br/2018/05/news-formatura-da-turma-de-pedagogia-em.html

Publicado por TV Cidade SBT em Domingo, 20 de maio de 2018

Postagem em destaque

Helder lidera em nova pesquisa para governador do Estado

Helder Barbalho (PMDB) lidera na nova pesquisa sobre a preferência do eleitorado paraense nas eleições deste ano ao governo do Estado. Na in...

Mais Acessadas

Arquivo do Site