Slideshow

Breaking News

Homem é preso por matar prostituta e guardar vísceras para “comer depois”

O homem declarou às autoridades que “não tinha a intenção de matar a prostitua”, só o fez porque ela “não cuidou dele”


Um homem austríaco, identificado como Alfred U, de 63 anos, está sendo acusado de matar uma prostituta, cortar seu corpo em pedaços, jogá-los em um lago e guardar as vísceras da mulher em um congelador, com o objetivo de comê-las posteriormente. De acordo com o Daily Mail , a vítima era da Eslováquia e não teve sua identidade revelada.


O crime foi descoberto após um pescador encontrar um tronco feminino no Lago de Neusiedl, na fronteira entre a Áustria e a Hungria. Ele acionou as autoridades e uma investigação foi aberta, localizando várias outras partes do corpo da prostituta – incluindo sua cabeça – no fundo do lago.




Mais tarde, as vísceras da mulher foram descobertas no congelador de uma pequena cabana nas margens do Neusiedl, cujo dono é Alfred U. Ele foi preso nesta quarta-feira (2) em seu apartamento em Viena, onde confessou que é um canibal e que iria se alimentar da carne da mulher. “Eu pretendia ingerir [a carne] em uma data futura”, explicou às autoridades.

Detalhes do assassinato da prostituta


Em seu depoimento, o acusado detalhou que conheceu a vítima em uma das estações de trem da capital austríaca e a levou para sua casa, com o objetivo de fazer sexo . Ele explicou que a sua intenção inicial não teria sido matá-la: “eu pedi para ela ser gentil comigo, para me beijar e fazer carinhos em mim. Mas ela se recusou. Então, eu a agarrei pelos seios e, de repente, ela começou a gritar”, disse o homem.

“Eu não conseguia suportar aqueles choros, tive que estrangulá-la para conseguir silêncio”, continuou. Alfred tentou argumentar que não é uma “pessoa ruim”, mas apenas alguém que “queria que aquela mulher o amasse”.

Em seguida, cortou o corpo da mulher com uma faca e decidiu deixar suas vísceras pequenas o suficiente para caberem em seu congelador. Ele, então, dirigiu até o lago, jogou as “partes restantes” do corpo e guardou as entranhas em sua cabana.

Crimes anteriores do acusado


O homem já foi acusado de diversos outros crimes, que o fizeram passar 32 anos na cadeia. De acordo com os oficiais locais, as condenações anteriores incluem atacar um rival em um bar e estuprar e arrancar, com uma mordida, um dos mamilos da namorada.

As investigações do caso da prostituta ainda estão em andamento, e enquanto isso, Alfred permanece detido na Penitenciária de Eisenstadt.

iG