Slideshow

Breaking News

Assaltantes tentam roubar grupo em frente a clube de tiro e vítimas reagem

Vítimas reagiram atirando, mas assaltantes fugiram e abandonaram automóvel; PM prendeu dupla que usava arma falsa; outros dois bandidos são procurados
Carro blindado é atingido por disparos de membros de clube de tiro após ser roubado, na Zona Leste de São Paulo (Foto: Reprodução/TV Globo)
Dois homens foram presos suspeitos de roubar um carro carregado de armas e munições de praticantes de tiro na noite de quarta-feira (6) na Zona Leste de São Paulo. De acordo com a Polícia Militar (PM), quatro assaltantes abordaram quatro vítimas por volta das 19h30 em frente a um clube de tiro na Rua Anália Franco, na Vila Regente Feijó. Outros dois bandidos são procurados.


As vítimas, que são sócias do clube de tiro, estavam armadas e reagiram atirando na direção dos criminosos, que conseguiram escapar levando o veículo de cor preta.


A PM foi acionada pelos praticantes e encontrou o automóvel abandonado a 5 km de distância do clube. Ele estava crivado de balas após os disparos feitos anterioremente pelos alunos de tiro.

Foram mais de 40 marcas de tiros, que não atingiram os criminosos, já que o carro é blindado. Dentro dele foram encontradas e recuperadas armas, como fuzis e pistolas, e munições dos praticantes do clube.


Para continuar a fuga, os bandidos roubaram outro veículo, de cor prata, na Vila Prudente, também na Zona Leste.

“Nisso chegou um rapaz com uma arma na mão, encapuzado e falou: ‘Perdeu, perdeu, desce’. Desci do carro e ele foi embora”, contou o homem que teve o automóvel levado pelos criminosos e aceitou falar desde que não fosse identificado.

Os assaltantes foram presos após mais 6 km de perseguição policial, segundo a PM, já na região de Heliópolis (Zona Sul). Por esse motivo, o caso foi registrado no 26º Distrito Policial, Sacomã. Com eles foi apreendida uma pistola de brinquedo que foi usada para roubar os carros.

Kaíque Alexandre da Silva, de 19 anos, e Mateus Ayla Silvestre Afonso, de 20, foram presos e identificados pelas vítimas, segundo a PM. De acordo com a Polícia Civil, outros dois comparsas teriam participado do crime e são procurados.

Segundo o advogado das vítimas, elas têm autorização especial para transportar e portar as armas usadas no clube de tiro.


Fonte: G1